terça-feira, 24 de agosto de 2010

Escolhas

Um dia depois de um dia extremamente cansativo fisicamente e psicologicamente com a Beatriz, comentei com uma amiga em forma de desabafo: "estou muito cansada, você não tem idéia..." e o que eu ouvi foi : " nossa, cuidar de bebê é fichinha, trabalha fora e você vai ver oque é estar cansada". Me magoou, pelo jeito e por ter vindo de quem veio.
Quando você não tem filhos já rola uma pressão horrível para você procurar um emprego, e quando você se torna mãe isso aumenta consideravelmente, até porque você será obrigado a sustentar outra pessoa que não é você.

Acontece que minha vida deu um giro de 360º quando engravidei, abri mão de muitas coisas, e adiei muitos planos, e óbviamente estaria muito mais realizada no quesito profissional se eu trabalhasse na área. Mas, a partir do momento em que aquele exame deu positivo, eu fiz escolhas.
Escolhas que tem suas consequências, e não pensei duas vezes para abrir mão de certas coisas pela minha filha, adiei a faculdade e comecei a trabalhar em casa, com vendas coisa que não é pra mim.
Muitas pessoas falam que isso é desculpa, que filho não impede nada disso. Também acho, hoje vemos tantas mulheres que trabalham fora, são mães, estudam, e ainda bate um bolo. Mas eu escolhi que comigo ia ser diferente.
Escolhi viver a maternidade, ser mãe. Escolhi dar a papinha para minha filha, escolhi passar o dia com ela, brincando, ensinando, cuidando e educando. Do meu jeito. Eu fiz, eu cuido.
Com isso tive de abrir mão de muitas coisas, de mais conforto, de uma certa independencia, de poder comprar um jeans quando bem entender sem me preocupar tanto, fazer uma festa em um buffet para minha filha, de sair para ir ao cinema toda semana.
Foi a escolha que eu fiz, e ninguém precisa aceitar, mas respeitar é o mínimo.

Se você escolheu isso você tem de ter muita força e jogo de cintura, para aguentar os comentários mais maldosos possiveis.
Porém, a recompensa é enorme!

5 comentários:

Tami (Mirabelle) disse...

Como já te disse antes, não faço a MENOR IDEIA de como é ter e cuidar de um bebê, apenas consigo imaginar.
Como você mesmo disse no texto, tem sim mães que trabalham, cuidam dos filhos, estudam...Mas essas são mães, e você é você, sabe fazer suas escolhas e arcar com as conseqüências. No fundo, sempre está fazendo as coisas pela Bia, não acho que alguém deve ser julgada por querer passar o dia com a filha e participar da sua infância. Enquanto isso estiver certo e bom para você, não tem por que se incomodar com terceiros ;D

Beijos grande,
Saudade ;**

Tah disse...

Oi Bela!!!!

É incrível como as pessoas julgam sempre seus "problemas" como sendo maiores que os nossos!
Ninguém se coloca no teu lugar pra ver de um outro ângulo...uma nova perspectiva!
Eu acho lindo a mãe que escolhe ser mãe em tempo integral...e sei o quanto isso é "sacrificante" pois são muitas escolhas, várias readequações...
Mas não da bola não...são comentários desnecessários, que só vão te magoar e não agregam absolutamente nada...ignore...guarde somente os positivos...
Parabéns pela sua dedicação de sempre com a Bia!
Deus abençoe vcs

Vanessa e Enzo disse...

Oie. Batendo cartão aqui no blog de novo. Não dê ouvidos a esses comentários. Tua escolha ocasionou renúncias, mas oh o prêmio valioso que vc tem (diga-se de passagem, linda foto!). Eu trabalho e chego em casa aos pedaços, cuido da rotina da noite e fds tenho meu pequeno td pra mim, mas a cobrança é VOLTAR PRA FACULDADE! No momento tô afim não... O que escuto não tá no gibi. E vai entrando por um ouvido e saindo pelo outro. Quando meu coração pedir eu retorno ;)
Beijo para as duas

Renata disse...

Kira..optei por ser mãe em tempo integral(aliás, optei não, meu marido me proporcionei esse privilégio). Devo muito à ele! Essa amiga que te falou isso, falou sem pensar, sem raciocinar, sem experiencia de causa. Vc como boa mãe que é, vai deixar passar, pois um dia se Deus permitir, ela saberá o que é ser mãe. beijos

Anne disse...

tudo o que eu queria nessa vida era fazer como você! tá certíssima na sua escolha e eu apoio muito! eu seria muito mais feliz assim
não ligue para os comentários, é gente querendo ser como você, tenho certeza hahá.
é um privilégio ser mãe integral, deve ser maravilhoso, eu só fico aqui imaginando...
beijo!