terça-feira, 2 de novembro de 2010



Filha, 


Dia desses me vi sem você, dormi sem você, acordei e não ouvi seu choro. Fiquei alguns dias internada, e pareceram a eternidade. E sabe, pensei em muitas coisas. 
Como minha vida seria sem você?Qual sentido teria?
Filha, eu te amo tanto que me da desespero. 
Nesses dias tive medo de morrer, egoísmo meu, mas tive medo de morrer e não te ver andar, não te ver falar, não te ver crescer. Tive medo de te deixar. 
O desespero é tanto que sufoca, eu não consigo te dizer o quanto te amo. 
Não sei se um dia vou conseguir te mostrar isso, não vejo outro jeito se não mostrar o quanto te amo, as palavras e os gestos já não bastam. Te amo tanto que por você, eu vivo. 

Um comentário:

Ligiane, mãe do Rafael disse...

Lindo, querida, lindo.
Compartilho deste amor que engasga a gente.
Beijos e espero que esteja 100 %.