quinta-feira, 20 de outubro de 2011

A minha escolha e a sociedade!

Hoje vivemos em um mundo bem moderninho, visto pelo ponto de que lá pelos anos 50 a única tarefa de uma mulher era cuidar da casa, dos filhos e do marido.
Com a independência da mulher, essa coisa louca de queimar sutiãn, fez com que a sociedade praticamente nos obrigasse a trabalhar fora.
Veja bem, minha filha fez 2 anos, e esse foi o prazo que eu ME DEI para ficar com ela, escolha minha. E dai que ela mal completou 2 anos e já bombardeiam perguntas de " quando você vai voltar a trabalhar fora?".
E experimenta dizer que não faz parte dos seus planos, que para você não vale a pena, ou que pretende fazer uma faculdade. Você é dondoca, é amélia, é sustentada.
Não, eu sou dona das minhas escolhas.
E sim, hoje existe uma grande pressão para que a mulher seja independente. E não basta você trabalhar fora, você tem que cuidar das crianças, da casa, do marido, e ainda fazer um séquisso all night long, se não, você é uma péssima mulher. Ou seja, para mim, continua a mesma coisa dos anos 50, delegando obrigações para as mulheres. Cadê a opção de escolha?


Nem preciso dizer sobre outros questionamentos que me ocorre sempre, Beatriz com dois anos e vem a clássica pergunta: quando ela vai parar de mamar?
Pera ai. A filha é minha, o peito é meu. Porque alguém ALÉM de mim tem de se preocupar com isso?

E isso tudo gira em torno do trabalho, é um círculo vicioso, porque sua filha tem de desmamar, para frequentar escolinha, para você trabalhar.
E quando você não quer nem um dos três?


Parece que as pessoas se esqueceram existem sonhos e metas individuais, e que, se eu não quero, eu não vou trabalhar com algo que não me agrada só para agradar uma sociedade.




Ps: Hoje tem texto meu la no Pais Modernos, falando sobre como idealizamos o pai dos nossos filhos! Passa lá vai! ;)


Beijos

17 comentários:

Luciana disse...

Olá, essas cobranças são mesmo de lascar, cada um com sua escolha e vamos respeitar!!!
Fiz a escolha de parar de trabalhar bem antes do meu filho nascer, quando casei e fui seguir o marido nas suas viagens a trabalho e seis anos depois quando meu filho nasceu, o que mais queria na vida era acompanhar o seu desenvolvimento. Hj ele tem 9 anos e nunca me arrependi da minha escolha, sempre tive o apoio do marido e fico muito feliz quando vejo nas atitudes do meu filho a educação dada por mim a ele refletindo no dia a dia.

Alice Bittencourt disse...

Apoiadíssima! Cheguei aqui hj e estou adorando... Bjks

Mari Hart disse...

O problema é o povo opinar baseado em suas próprias experiências, sejam impostas ou escolhas. O próprio umbigo é sempre o melhor e o mais adequado para o mundo, qdo na verdade, cada um tem sonhos, desejos, realizações, expectativas diferentes diante da vida!

O povo defende, levanta uma bandeira sem questionar, analisar, avaliar, mas diz que é bom, pq foi sua escolha, qdo no fim das contas, não existe verdade absoluta.

Nos meus 2 últimos posts esta semana, o que vi foi algumas pessoas comentando parecendo que nem leu o texto, pq é mais fácil apontar, defender sua tese do que avaliar cada situação como um todo.

Bjos querida! Penso assim como vc! =))

Um espaço pra chamar de meu disse...

Né mole ñ...uma vez na fila do mercado me segurei pra ñ bater boca com um homem, ele conversava fiado com uma mulher na fila e soltou "mulher tem que trabalhar fora,pois se não parece que não tá viva..." respirei fundo, péra lá cara pálida eu ñ trabalho fora há 3 anos e tô muito viva,diga-se de passagem até ganhei uns quilinhos a mais (estava magra demais)...Fizemos esta escolha(eu e maridex),pois eu estava pagando pra trabalhar e perdendo muito mais coisas do meus filhos...sempre trabalhei e me doía o coração deixá-los,ainda mais o mais novo q se acabava de chorar e mesmo eu trabalhando fora mamouo até os 3 anos (pedras pra q te quero...)...
E ouço muitos discursos de mulheres "preciso ter meu próprio dinheiro" (eu cuido de todo din din da casa);
"ñ quero ter q pedir para comprar as minhas coisas" (eu ñ peço)
"quero ver gente nova" (vejo sempre aqui na internet e me encontro cazamigas d vez em quando)
Então,como bem disse a Mari, cada um com sua experiência e vivência...eu ñ quero sair de casa e gastar mais do que ganho só pra mostrar pra sociedade q sou independente,livre...quero mais é q ele pague minhas contas...huahuahuahuahuahua...
Mas bem q tô querendo arrumar algo pra fazer em casa mesmo...distrair a cabeça...bjs,queridona

Dany disse...

Kira, eu só me dei conta de que podia ter escolha há pouco tempo. Antes, eu queria ser a mulher maravilha. Óbvio que só consegui ficar frustrada.

Hoje, trabalho pouquíssimo e já cansei de explicar pros outros que eu não preciso de muito dinheiro pra viver. Cansei tanto que agora falo assim: pois é, meu marido é rico meRmo e me sustenta. hahahaha

Deve ter muita gente me odiando e com inveja de mim por aí. Mal sabem eles que eu fiz minhas renúncias, mas não preciso explicar a ninguém. Cansei, sabe?

Minha Maria disse...

Assino embaixo!

Beijo

Dani disse...

Kira, minha filha tem um ano e dois meses e eu optei por continuar trabalhando depois que ela nasceu. Ela fica meio periodo na escola, e o restante do dia em casa (com a empregada, com minha mãe que vem sempre aqui; eu e meu marido conseguimos trabalhar de casa grande parte do tempo, então estamos sempre por perto).
O que mais ouço? Coitadinha... tão novinha já vai para a escola... você precisa MESMO trabalhar tanto?

Moral da história: sempre vai ter um mala se intrometendo na sua vida e nas suas escolhas. Não importa quais sejam elas!

Tenta só escutar o que te agrada e ponto.

Beijos

Layana disse...

Ai, essa desculpa de "preciso ter meu dinheiro porque não gosto de pedir pro marido"

Gente, se a pessoa vive um casamento em que tem que PEDIR $$ pro marido pra comprar algo, não tem moral nem pra ser minha amiga. Fala sério.

Aqui em casa não tem dinheiro de um ou de outro. Eu não trabalho formalmente, mas tenho rendimentos, a gente só soma e vai pagando as coisas.

Hoje, pra eu trabalhar ou seria num emprego concursado ou em algo que realmente valha à pena, porque pra pagar creche período integral + almoços fora + transporte e sobrar 200 reais na minha mão no fim, eu passo!

Layana disse...

Ahhh só concluindo:

Coitado de quem acha que trabalho "dá sentido à vida" ou "te preenche como ser humano"

Quando a empresa decide que vai te cortar amigo, a demissão vem e a empresa continua numa boa. E aí, cadê tua vida?

Kira disse...

Layana, eu trabalho na internet, dai eu cansei de explicar que eu tenho rendimento e não dependo somente do marido, não sustento a casa falta muiiito, mas ganho o meu. No qual, eu gasto com coisas para casa, para mim, assim como meu marido.

Exatamente, acredito que ser " sustentada " pelo marido, não é vergonhoso, quando eu ganhava bem mais que ele, eu " sustentava " ele se for partir por essa lógico né! hahaha

Acho que quem fala muito, por fim, é inveja mesmo... da dó, sei la!

Beijos queridona.

Tata Campioni disse...

É duro, é... mas cada mãe sabe o que é melhor pra si mesma e pro seu filho. Formula perfeita de educação, quando é pros outros, todo mundo acha que sabe e que tem. Concordo totalmente com você.

Rosana Lima disse...

Nossa, fico tão feliz quando entro aqui e vejo que existes pessoas que pensam como eu...
Estou na 33º semana de gravidez, mih linda Sofia está pra chegar, e ja avisei o maridão que nao volto a trabalhar antes dela completar 2 anos, no minimo... vou continuar somente com a faculdade!!
e quando falo isso para meu pai ou minha mãe, eles me chama de louca, inconsequente, perguntam se acho que dinheiro da em arvore! eu nao quero saber de onde vem o dinheiro, eu quero saber de cuidar da minha filham e ponto!!!

Parabéns pelo Blog!! eu leio a um bom tempo, mas essa é a primeira vez que tenho coragem de comentar!!! rs

Bjuss

andrea disse...

sei la acho q qm fala demais ta se doendo de inveja,nao trabalho fora desde antes de engravidar,meu namorido sempre viajou mto e eu passei a acompanha lo,e aqui nao existe a historia de pedir $pro marido,e algo absurdo,o dinheiro e nosso,cmo nos sempre falamos,ele trabalha pra sustentar a casa e eu pra arruma la...shuasshuas fico em casa com meu filho,e nao vejo coisa mais saudavel pra ele ate seus 3anos,cmo o proprio ped. dele falou.

Inaiá Barbosa disse...

quando vem comentários desse tipo eu já respondo logo:Desculpe, mas é pra quem pode, não é pra quem quer não!
E o maridão, que apóia e faz questão da minha decisão, tbm manda logo "o reto": Eu sou macho o suficiente pra trabalhar e sustentar minha casa sozinho.
É claro que respeitamos quem decide fazer o contrário, mas se alguém vier dar opinião sem ser convidado, vai ouvir isso!
E tem mais, decidimos que ficarei em casa por toda vida. Não vou mas trabalhar, minha profissão: esposa, mãe e dona de casa, sim e com MUITO ORGULHO!

Cris Moreira disse...

poucas vezes li um texto sobre maternidade e educação de filhos que eu concordasse tanto. como você mesma fala E DAÍ SE SÃO MINHAS ESCOLHAS, E DAÍ SE FAÇO ISSO OU AQUILO QUEM TEM QUE SE PREOCUPAR SOU EU. Olha sofri e sofro uma pressão danada por causa das minhas escolhas, apesar de terem sido diferente das suas. Mas já vai voltar a trabalhar? Mas ela é tão pequena e já vai pra creche? Mas já vai desfraldar? Nossa mas você não tem tempo nem pra sua casa, está uma bagunça... MAS MAS MAS... A escolha é minha, eu escolho minha forma de educar e @maedemerda, @dorianamae ou qualquer parente meu pode me dizer isso. O que me dá mais raiva no atual momento são os comentários sobre minha casa, que dá tempo de cuidar dela... etc, Não, não dá tempo, o tempo que sobra é a noite, aí novamente ESCOLHOOOO, ou brinco com minha filha ou arrumo casa, ou descanço e faço as coisas que eu gosto depois que ela dormir ou arrumo casa.. numa boa escolho ser feliz com minha filha e comigo mesmo, a casa depois a gente vê...No final nós mães estamos fazendo o que achamos certo ou melhor para nossos filhos e esses conceitos são muito relativos, variam de pessoas, culturas, educação, etc. O pior que quem mais enche são as pessoas que se intitulam amigos e família... se não ensinaram a eles a respeitar as escolhas alheias quero ensinar isso pra minha gatinha.

Cris Moreira disse...

Ficou tão bom que tomei a liberdade de colocar seu texto no meu blog leituras de cris, passa lá pra ver.

Laragui disse...

Ah, adorei!! Disse tudo...

Cada um na sua e pronto! To cansada das pessoas me perguntando isso, achando um absurdo eu ter parado de trabalhar: -mas tu estudou tanto? Que pecado...

Enfim, meu marido, trabalha longe de casa (sem vir em casa mesmo) ao menos 8 meses do ano!! Sim, fico ao menos 4 meses sem ve-lo, e decidimos que ao menos um de nos seria presen;ca constante na vida da Bea, ao menos enquanto é pequena e nao entende... Mas enfim... Quando começam a falar sou curta e grossa: volto quando quiser, por hora estou bem...

rsrs

bjnhos