quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Sobre sua avó!


Beatriz, hoje quero falar sobre a sua avó Arlete. 
Eu não tenho como começar sem dizer que a sua avó era guerreira, batalhadora mesmo! 
Daquelas que tinha tudo para "não ser ninguém" e conseguiu ser muito.
Ela nasceu na roça filha, lá no Paraná. Ela tinha muitos irmãos, eram pobres, e ela trabalhava desde pequena. 
Ela deu aula ainda na roça, mesmo sem formação. Ela conheceu seu avô, veio para Campinas, passaram apertos, tiveram uma filha que faleceu, mudaram tantas vezes, tiveram o Tiago, construiram uma casa - essa que moramos hoje - com um tanto de custo, muito esforço e economia, e descobriu que estava grávida de mim.
Prestou concurso publico, só tinha o Ensino Fundamental, se tornou Auxiliar de Enfermagem, eu fiquei doente, ela passou meses comigo em São Paulo morando em pensão, deixando a família em Campinas, a casa dela, o Tiago. 
Ela nunca deixou de trabalhar, talvez porque achasse que isso era o melhor a se fazer, nunca deixou faltar nada para a gente.
Ela cozinhava bem, não era uma expert na cozinha, mas o quiabo que ela fazia era muito bom, adorava também o arroz, feijão e carne moída. 

Ela pegava cachorrinho de rua para eu cuidar, ajudava moradores de rua dando comida, marcando consultas, e ajudava todos como podia. 
Tinha um senso de justiça incrível, e era brava. Daquelas que só de olhar já te deixa com medo, que falava " Isabela, engole o choro" e não precisava falar duas vezes.
Mas era carinhosa, me abraçava sempre, me dava colo mesmo depois que eu estava grande, deixava eu dormir na barriga dela, batia na gente quando ela julgava necessário.
Ensinou meu irmão trabalhar desde cedo e economizar, guardar dinheiro.
Ela tinha um lado chefe de família, controladora, mas era um amor, era carinhosa, dava beijo todos os dias antes de eu dormir.

Eu sinto falta dela filha, mas sinto um enorme orgulho pela mulher que ela foi, ela tinha seus defeitos sim, hoje vejo que o método de educar dela era meio traumático, haha.
Mas sabe, eu daria tudo para ter ela com a gente agora. 

É difícil filha.


Já te disse, e você tem muito dela, e eu espero que tenha muito mais. 
Eu queria que ela tivesse te conhecido, ela te mimaria um tanto, brigaria um tanto comigo, cuidaria tanto do seu avô do jeito que só ela sabia cuidar das pessoas.


Ela fazia questão de me levar na porta da escola todos os dias - confesso, as vezes sentia uma vergonha danada - e falava para que não arranjar briga com os meninos. Ela arrumava meu cabelo todos os dias, e passava um creme que eu detestava. Ela cantava para mim, me ensinou a cozinhar, a lavar banheiro, louça, tudo..


Mas ela me ensinou uma coisa sem dizer uma palavra, só pelo simples fato dela existir e dar o exemplo dela ela me ensinou, lugar de mulher é onde ela quiser. Somente nós somos donos de nossas escolhas, consequências e renúncias, ninguém pode interferir nisso. 
Ela me ensinou a ser forte, e nunca me esquecer de quem eu sou.
Me ensinou que nunca é tarde para mudar.

Ela tinha tantos planos, tinha parado de fumar fazia acho que dois anos, tinha reduzido os seios, vivia contra a balança, queria voltar a estudar. Sempre foi muito companheira para o meu pai, o casamento deles é um exemplo para mim. Não tinha quem manda, era os dois que mandavam na casa, os dois trabalhavam e ganhavam dinheiro, os dois gastavam as economias como eles bem entendessem, seja comprando roupas, viajando, pescando, reformando a casa. 



Sua avó filha, foi um exemplo de mulher, de determinação.
Eu lembro das poucas brigas que ela tinha com meu pai, uma vez, sentada na cadeira da cozinha ela chorava com a Tia Marlene ou com a sua bisa, e falava que queria separar do meu pai e que só não fazia isso por conta da gente. Mas filha, ela nunca faria isso.
Seu avô filha, por mais que ele tenha os defeitos dele, fosse um pouco preguiçoso, sua avó nunca abandonaria ele, não por piedade, dó, comodismo, mas por amor mesmo. Ninguém fica quase 30 anos com uma pessoa se não ama.





Espero filha, um dia você conseguir conhecer um pouquinho que seja da sua avó, com tudo isso que todos nós iremos te contar aos poucos. 


Beijos, te amo.


Hoje, pela primeira vez (depois do enterro da minha mãe, e do enterro da minha avó e do meu tio) eu senti vontade de ir  ao cemitério. Eu não sabia o que fazer, até porque nunca vi muito sentido em ir, mas hoje senti vontade, fui, e enquanto eu ficava com cara de sem saber o que fazer, a Beatriz rancava florzinha do vaso de flor que tinha ali. Aquele cemitério é lindo, é só gramado e as plaquinhas no chão, limpo, bonito, tranquilo mesmo estando lotado.

Amanhã (3) fazem 10 anos que minha mãe nos deixou.

6 comentários:

Luciana(acredite no seu potencial e seja feliz) disse...

É Isabela saudadessss e saudade...

Ela era tudo isso mesmo era maravilhosa ....
e tenho certeza que não teria deixado seu pai de forma alguma , pois eles brigavão. A mãe(sua a avó) entrava no meio da história e sempre saia na pior porque ela acabava ficando do lado do seu pai rsrsrs.
E tudo sempre termina em risos
Passiei muito com sua mãe e seu pai , pesquei muito com eles já dormi muito na casa da sua mãe quando você ainda não existia , la no santa Rosa ela fazia sopa de feijão só para mim e eu adorava ficava la a semana toda de férias da escola a mair pentelha pro casau rsrsrss...
Se ela estivesse aqui hoje daria todo o amor do mundo para a Beatriz .Foi uma grande mulher.

Cristiane Pacheco disse...

Nossa, muito lindo. Meus pais tb não fazem parte da realidade de meus filhos e sei como é dificil passar para eles tudo o que os avôs significaram para nós e como seria maravilhoso se eles estivessem entre nós. Eventualmente falo sobre meus pais, pois é um assunto que me deixa triste, triste por eles não estarem mais comigo. parabéns o post muito lindo.

Dani disse...

LINDO, isa. parabéns pelas palavras, lembranças e sentimentos. cetamente bia vai conseguir, ao longo da vidinha dela, perceber o valor da sua mãe, o poder de ser uma mulher.

beijos

Anônimo disse...

nossa Bela, vc me fez chorar..Arlete era uma pessoa íntegra, batalhadora e com um carater incrível, um exemplo!Se ela stivesse aqui curtiria muito a Beatriz e todos os outros netos,sabe..tbm queria muito que ela estivesse aqui seria tão bom,tanta coisa boa para comemorarmos, ainda não entendo os propósitod do nosso pai, mas um dia entenderemos.Nunca a esqueceremos!!Amiga, irmã, tia..uma estrela iluminada.

Raquel disse...

Que post lindo, Isabela.
Amei : )
Um bjão em Beatriz

Futura Mamãe Tati disse...

Oi Isabela!! Conheci seu blog hj, amei! e me apaixonei por Beatriz! Mto linda sua filhinha! Parabéns! Estou seguindo vcs! Beijos