quinta-feira, 14 de abril de 2011

Eu amamento em publico SIM!

Antes mesmo de eu saber que estava grávida, sempre critiquei sem pensar duas vezes, mães que amamentavam seus filhos em publico.
Sempre pensei comigo e comentei com amigas " será que a mulher esquece que é MULHER?E que vão olhar?" achava um absurdo mãe que amamentava no onibus, e sempre pensava " pô, porque não faz isso antes de sair de casa? que desleixada".
Já grávida, sempre bati no peito para falar que não, não faria isso, que se fosse muito necessário cobriria. Como assim, sair mostrando meus peitos por ai sem nem pagar uma cervejinha?

Acontece que, com o nascimento da Beatriz muitas coisas mudaram na minha vida, inclusive, alguns dos meus conceitos sobre certas coisas.
Na teoria é tudo lindo, vamos lá, é só segurar o bebê, tirar o peito pra fora, e jogar um paninho. Agora na prática, você está dentro de um onibus, com sua bolsa, bolsa do bebê, sozinha, bebê chorando de fome, e tem de tirar o peito e jogar um paninho ainda em cima? Coordenação motora, cadê você?

Sempre tive muita vergonha, até mesmo de amamentar perto de pessoas conhecidas, como minha sogra, ou no carro do meu sogro, eu torcia muito para a Beatriz não pedir tetê naquele momento e dar tempo de chegar em casa. E as vezes, quando não tinha jeito, eu amamentava porque era preferível do que ouvir ela chorando com fome.

Lembro até hoje a primeira vez que amamentei em publico - sem ser pessoas 'conhecidas' digamos assim -eu tinha ido com uma amiga em um pronto socorro, pois ela estava muito mal e não queria ir sozinha. Beatriz deveria ter seus 7 meses e já não amamentava exclusivamente. Eu estava do lado de fora, em um banquinho, perto de umas árvores, e tinha várias pessoas ali também pois estava muito lotado o lugar. Tentei dar fruta e ela não queria, queria o tetê. Respirei fundo, tirei o peitão e amamentei. E quando vi, ninguém olhava para o meu peito e me senti totalmente aliviada pelo fato de que, ÓTIMO ISSO É NORMAL!
Nunca amamentei em publico com o intuito de chamar a atenção, muito pelo contrário, não queria que ninguém me notasse ali, tanto que fazia de tudo para que a Beatriz pegasse no peito logo e parasse de chorar.

Hoje, faço isso naturalmente. Se tem um banheiro, um fraldário, lógico que prefiro, pela privacidade, silêncio. Se não tem como, não me aperto, tiro o peito ali mesmo e amamento. Pois minha filha, em primeiro lugar.
Nunca pensei de verdade, que isso poderia incomodar alguém, ou que ainda existisse pessoas que vissem maldade em um ato como esse. Mas, existe.

E para não dizer que não passei por momentos constrangedores, eu passei sim. Gente olhando torto, comentando, mães virando o rosto dos filhos para não ver eu amamentar. Mas quer saber? Eu não me importo. Eu me orgulho de dizer que eu amamento minha filha de 1 ano e 5 meses. E que vou amamenta-la até quando ela quiser, e eu puder!Em publico, ou não.


Já amamentei no onibus, porque minha filha chorava irritada com sono. Já amamentei no shopping. Em restaurante. Já amamentei em parques. Já amamentei na fila do supermercado. E sabe, nunca ninguém me prendeu por atentado ao pudor.


E sabe, ler textos como esse:     me deixa um tanto incrédula de como serão os jovens de amanhã. Faz refletir de como queremos educar nossos filhos, para não ter preconceitos tão... bestas e idiotas. Nojo de uma coisa tão natural. Que SÓ QUEM É MÃE ENTENDE.

Eu não sou contra quem prefere não amamentar em publico, é um direito seu. Sou contra quem não passou por isso ainda, palpitar como se fosse a dona da verdade absoluta. Sou contra a existir gente que pensa assim!


E você, se sente constrangido em amamentar ou ver alguém amamentando em publico?Nojo?

15 comentários:

Aline D. disse...

Vou te dizer o mesmo que disse no texto que você publicou no twitter: prefiro peitos a gritos.
E ah, parabéns! Sua filha é uma coisa linda e você uma batalhadora. Não é porque concordo, em partes, com o texto que você deixou o link no twitter que minha admiração por mães diminui.
Só lamento pela Bia ser libriana (do mesmo dia que eu!), porque librianos são problemáticos, indecisos e muito muito dramáticos! haha
Beijão :*

Aprendendo com Davi disse...

Eu tbém amamento flor, seja onde for...
Prioridade: Davi
O resto é resto.

Sílvia Renata disse...

De forma nenhuma! Tbm bato no peito com orgulho e digo que amamento SIM meu filho onde quer que eu esteja, sem um pingo de vergonha, como vc disse, meu filho em primeiro lugar sempre! Tbm ja vivi situações de olhares preconceituosos e até mesmo cochichos, mas sabe, não me importo nem um tiquinho sequer... tbm pretendo amamentar mto, até pelo menos os 2 aninhos, e quando ele pede o 'MAMÁ' eu simplesmente tiro o peitão - e são grandes mesmo heim - e dou o alimento mais gostoso do mundo na opinião do Eduardo Matheus...
Bjs querida e te assino embaixo...

Tassi Bach disse...

Vou comentar no blog da garota-ultramega-moderna-que-não-quer-ter-filhos. E também vou postar no meu blog a respeito.
Eu amamento em público sempre que precisar. Antes uma teta na boca do que berros! E se alguém não gostar, que vire o rosto e "os incomodados que se retirem".
Um _|_ pra quem tem nojinho de leite materno!

Elaina disse...

Não era muito fã de amamentar em público, sempre prefiri fraldário, banheiro assim como vc, isso pq meu marido se sente constrangido com isso, então o respeito.
Mas já aconteceu algumas vezes sim e amamentei numa boa, com meus 2 filhos.
A prioridade sempre será eles e se alguém achar ruim que se afaste, pois é uma ato de amor tão natural que a maldade está na cabeça de quem sente "nojo".

bjs

Elaina
http://www.vidademae.net/

Fabiana disse...

Acha?
Tem coisa mais linda, pura e NATURAL do que amamentar???
Viva a amamentação seja como for!!!!!

Bjos.

Confissões de uma mãe de primeira viagem disse...

Ola Kira
e pensaava exatamente como vc, sempre achei estranho a mulher tirar as peitcholas pra fora, sem o menor pudor e etc, confesso que no inicio eu morria de vergonha de amamentar e preferia levar mamadeira. Mas aconteceu um dia, no meu aniversario de 25 anos (4 de julho, nunca vou me esquecer) tive que levar Bryan na emergência, calculei que ele fosse mamar pouco e só levei a mamadeira com 60 mL, as horas foram passando, ele mamou tudo, e queria mais, e na dúvida: ou mostro os peitchos ou deixo meu filho chorando de fome, não pensei duas vezes, coloquei as peitcholas pra fora (tá que várias pessoas me olharam torto e inclusive um casal, a namorada chegou a brigar com o namorado perguntando se estava olhando pros meus peitos) e Bryan mamou bastante feliz da vida...
As pessoas tem que enfiar na cabecinha pequena, que mamar é natural, não é pra ter vergonha e sim orgulho!!!!
bjos

Steph Ciciliatti disse...

Gente que não entende so assunto, querer falar como se fosse a rainha da verdade é tao idiota... O erro foi da mae dela, que teve ela. SIMPLES.

Mae de merda existe pra provar que nem todo mundo esta pronto para ser mae. Espero que ela nao engravide. Pq né, 30 anos e escrevendo um texto desse.. só prova que NINGUEM QUER AQUELA DEMONHA que ELA TEM CABEÇA DE 15 ANOS.

Layana disse...

Concordo contigo Kira. Eu li o texto lá e a única coisa que concordei é que acho o cúmulo levarem crianças ou bebes pra bar. Mas ela falou tanta merda, inclusive nas respostas dos comentários, que eu não vou comentar isso lá. Deixa ela berrando sozinha, igual um RN com fome. Tomara que um dia alguém bem peituda dê uma espanhola nela com duas aureolonas kkkkkk

Carol Prestes disse...

Tem vergonha? põe um paninho na TUA cara!

Bloguei tb...

Beijos!

Ioly a dona do verdades... disse...

Kira amamentei a Yasmin até 2a2m que foi quando ela perdeu o interesse, e sempre amamentei a pequena de acordo sua necessidade. Nunca vi problema no ato, e portanto não me intimidava.
Depois que viramos mãe passamos a dar valor real aos acontecimentos.
Bom ser mãe, como a gente aprende, cresce, amadurece.
Aos críticos de plantão: vá parir, depois conversamos... rs
bjk

Nina Nishioka disse...

Eu li o texto dela e comentei inclusive. Até falei que concordo com alguns pontos: como levar bebê pra bar ou pro cinema sem que ele saiba que tem que ficar em silêncio. Mas disse pra ela que ela não entendia mesmo nada sobre amamentação e nem teria como entender já que não faz nem questão. Eu já amamentei em público, mas sempre me cobri. Mas eu fiz isso por uma questão puramente conjugal e pessoal. Meu marido não gosta e eu não me sentia bem mostrando. MAS se um dia eu estivesse sozinha, em um ônibus, com meu filho berrando EVIDENTE que faria a mesma coisa. Ele é prioridade e não os outros. Expliquei pra ela que às vezes não tem como MESMO. E que era melhor alimentá-lo do que deixá-lo chorar, que fazemos isso em público por eles, pelos outros e por nós (Mas essa parte da troca de carinho e amor nem expliquei porque ÓBVIO que seria demais pra ela entender). Beijos!

Lucila disse...

Kira, eu também como você, não concordo, principalmente de quem não passou por isso palpitar, achando que tem algum argumento que se preze.
Li o texto pelo twitter, e compartilho agora com você minha indignação.
Até me aprofundei um pouco na vida da dita cuja que escreveu o texto, e vi outro texto dela massacrando um jornalista da globo que escreveu algo em um site que parecia ser homofóbico. Engraçado né, ela é contra o preconceito, mas não se importa em discriminar crianças e mães que amamentam...

O pior é que tem muita gente que pensa como ela. Triste!

Beijos!

Lullyz disse...

Hey Kiraa =)
To acompanhando seu Blog Sempre que posso=)
Sobre o tópico, eu jamais fiquei constrangida de ver uma mãe amamentando um filho! Acho muito lindo esse gesto e super saudável. Concordo com os comentários acima,...o bebê em primeiro lugar e lógico vai da opção da mãe tbm.

Bjos

Kika Del Piero disse...

Ah sei lá... eu me sinto constrangida em ver peitos a mostra no metro lotado e os caras suer babando querendo ser a criança...
Já várias vezes quase levantei pra falar umas boas pros caras.. mas acredito que se um dia eu conseguir engravidar.. ainda vou tentar a tática do paninho... vou treinando a coordenação...
Não uso nem decote.. imagina minhas peitcholas de fora. rola não...