sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Beatriz, o papel higiênico e o banheiro publico.

Nem tudo são flores. Nem todos os banheiros tem cheiro agradável, e criança não sabe segurar o xixi até chegar em casa.
Não tem como escapar dos banheiros públicos, o jeito é tentar fazer isso da melhor forma possível. E quando a gente lê, vê por ai, várias dicas de como agir nessa situação parece tudo tão fácil e simples. Mas não é.
Nesses textos prontos, não diz que você está com uma mochila pesando uns 4kg nas costas, nem que você está super atrasada, e que sua filha ficou apaixonada pelo suporte de papel higiênico.

Então vou relatar duas cenas.
1º cena - Shopping, eu + bolsa + caixinha do mc lanche feliz em uma mão + copo de suco + Beatriz. 
Cabine do banheiro minúscula, tentei ser ilegal e usar a de deficiente mas estava ocupada. Coloco o suco apoiado em cima do suporte do papel higiênico, Coloco a caixinha do mc lanche feliz  no lixo já que está vazia, coloco a bolsa no chão e foda-se as milhares de bactérias.
Nesse meio tempo Beatriz já se mijou toda, já espalhou uns 2 metros de papel higiênico pelo chão e continua.
Jogo o papel no lixo e tiro a roupa dela, forro o vaso com papel higiênico e coloco a Beatriz, que fica puxando o papel higiênico que está forrando o vaso sanitário.
Com uma mão seguro ela, e a outra procuro uma roupa na bolsa.
Beatriz resolve que é um bom momento de fazer cocô.
Beatriz faz cocô cabritinho, sabe?Pelotinhas. E demora uma eternidade.
"Filha, faz força pro cocô sair!" Filha compreendendo tudo " Sai cocô, sai cocô!" . 
Limpa a menina, coloca ela em pé em cima da tampa do vaso e começa a colocar a roupa, enquanto isso ela ainda puxa o papel higiênico do suporte. O suco cai.
Fico puta da vida, saio dali  e deixo o chão sujo mesmo e um monte de papel higiênico pelo chão.



2º Cena - Consultório médico. Mochila pesando uns 4kgs + Beatriz + pacote de biscoito da Beatriz + documentos para entregar ao médico. Depois de 30 minutos de espera - no qual Beatriz correu por toda a sala de espera, fez amizade com as recepcionistas, rasgou o comprovante de pagamento da consulta  e causou litros fomos chamados.

Beatriz começa a tentar abrir a porta do consultório pra sair. "abre porta, abre" "calma filha, já já a gente vai" "porta, abre COCÔ". 
Olhar de pânico do médico para mim. Momento de tensão e silêncio.
" LEVA ESSA MENINA NO BANHEIRO AGORA".  E eu saio no meio da consulta para levar ela ao banheiro. E começa, Beatriz puxando todo o papel higiênico do suporte, coloca Beatriz no vaso e Beatriz faz xixi.
Abro a porta do consultório e o médico " aposto 10 reais que era xixi!".





E eu na inocência achando que só dava para rir com os acidentes do desfralde... doce ilusão! 

8 comentários:

Carla disse...

Adorei a frase: " tentei ser ilegal e usar a de deficiente mas estava ocupada. "
Muito provavelmente por outra "ilegal" que não sabe que deficiente, na sua maioria, tem dificuldade de controlar o esfíncter, assim como uma criança, e ao esperar um "ilegal" sair do banheiro de seu uso já vai estar molhado, ah, esqueci de dizer que a cadeira também...
Antes de entrar "ilegalmente" em um banheiro de uso exclusivo pense no próximo.
Abraços.

Andrea disse...

adorei,acreditava que o meu seria mais facil por ser menino ja que faz xixi em pé,mas já nao sei mais nao...heheh bjs

Bruna A. Rolemberg disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk....
morri de rir aqui...que menina fofa e danada rs.
Amei seu blog.


Beijos
http://www.blognossahistoria.com/

Ba Moretti disse...

GZUIS, fico me imaginando em uma situação dessas... é, tenso. HAHA

Shilola disse...

Medo gata, muito medo! :S
Juro que não vou rir (apesar da vontade), porque daqui a pouco é minha vez de chorar (de rir)!
Bjocas,

Alessandra disse...

é Meninas tenho que confessar.. menino é bem mais facil.. kkkkkk

LelisPaula disse...

Kkkkkkkkkkkkkkk.. Não tem como não rir.. Depois, que passa pode né? Ela é uma graça sua filha. E se prepara, ainda têm muitas situações engraçadas e inusitadas por vir. ;)
Ah, e concordo, com a Alessandra que menino é mais fácil. Mas, também já passei cada uma com o Gabriel, que curte fazer cocô fora de casa..rsrs
Beijos

(Mamãe) ~Pinel disse...

Quanto malabarismo!!!
Me lembrei de mim com a Lara no banheiro do aeroporto, tirando que a minha bolsa tinha menos que 4kg!! O pior é quando nós é que queremos usar o banheiro! Aiai..

Mães com certeza precisam de mais braços!