segunda-feira, 16 de maio de 2011

Doe!

Todo mundo que me conhece um pouco mais, sabe que a minha gravidez foi uma grande surpresa, e não veio no melhor momento financeiro que já tive! Com isso, recebi muita ajuda, ajuda também de pessoas que eu nem imaginava. Sempre aceitei tudo de bom grado, e uma coisa eu aprendi, DOE!

Beatriz ja perdeu muita, muita coisa mesmo, roupa principalmente, porque esses pequenos crescem rapido demais! E como o espaço aqui em casa é pequeno, o guarda roupa da Beatriz também é, então, não faz sentido ficar com um guarda roupa intuxado de roupa, sem nem espaço, e com coisas que não usa.
Então, basicamente a cada troca de estação, tiro tudo do guarda roupa da Beatriz e separo, o que é para doar, o que da para reformar (tipo calça jeans, virar short jeans), o que ta zuado demais e não tem como nem doar, e o que eu guardo para ela usar e para recordar. Porque né gente, existe um coração babão aqui que guarda muitas roupinhas!

As que guardo de recordação, coloco em um local separado fora do guarda roupa. As de doação sempre deixo a mão, porque sempre tem alguém precisando, e quando não tem, dou para alguma igreja!
Gente, isso não é fazer demais!

Por mais que eu precise de dinheiro as vezes, e a Beatriz tenha perdido roupas NOVAS, eu não vendo. Porque sei que tem muita gente por ai precisando, sabe?E se eu não tenho ninguém precisando, em igrejas sempre tem, ou eles fazem bazar para arrecadar dinheiro, ou doam! Mas tem um destino sabe?

Também dou para a Rafaella, ela herdou muitas coisas da Beatriz, muitas mesmo! Assim como a Beatriz herdou coisas dos primos!
E acho isso legal, porque não tem aquele disperdício imenso de dinheiro, de ter de comprar roupa sempre porque perde mesmo, e acumular roupa e mais roupa no minúsculo guarda-roupa de bebê!

Bom,e por ai, como vocês fazem!?


Beijão

13 comentários:

Aline B. disse...

Bom, eu ainda guardo as roupinhas da Sophia. Pretendo em breve (no final do ano) encomendar outro baby (para acabar logo com a farra) e se for menina, já economizo uma boa grana de enxoval. Depois disso ou se for menino, eu vou dar para alguém que precise ou para algum parente, ou mesmo vender aquelas roupinhas mais caras que foram pouco usadas. Algumas, como a que ela usou no dia em que nasceu, eu vou guardar de recordação mesmo.
Algumas coisas que eu sei que vou comprar outro como o bebê conforto, que já era de segunda mão e eu já dei, o carrinho que está na creche e já já vai ser encostado, eu vou doar também. Além de alguns acessórios que não vale a pena ficar guardando, isso eu já separei para dar.
Agora, um comentário: outro dia vc disse que não acreditava em Deus. Se isso é verdade eu quero te parabenizar e MUITO por, mesmo sem acreditar (vc pode até achar que não tem nada a ver uma coisa com a outra) você doa para a igreja. E considero isso uma atitude muito louvável e digna, pois independente de qual igreja vc doe, acho bonito o fato de vc acreditar no trabalho das pessoas, mesmo que elas não tenham os mesmos conceitos religiosos que você. Isso é raro!
Bjus!

Tuka Siqueira disse...

Oi Kira. Aqui também o método é esse. Quando engravidei das gêmeas, imaginei ser um bebê só ate o 5º mês, quando descobri que eram 2 entrei em pânico. Mas ganhei tanta coisa das amigas e vizinhas, que nem pude usar tudo. Já comecei aí a doar o que sobrava. Quando elas ficaram grandinhas, juntei tudo pra doar pro brechó da igreja que vende tudo a preços baratíssimos, mas na semana em que fiz a faxina nos armários, me descobri grávida de novo! Voltou tudo pros armários, mas assim que deixavam de servir, já iam pra sacola ao lado da porta. Novamente na semana que planejei levar tudo pra igreja, uma amiga me ligou dizendo que estava grávida. Tô mandando tudo pra ela. Agora mesmo a irmã dela teve aqui levando mais uma sacolada de roupas da minha pequena para a bebê de minha amiga. Assim, quando compramos alguma roupa, reservamos essas novas para sair e as outras mais usadinhas servem pra tudo no dia à dia, para se arrastarem no chão, para brincar no parquinho, na escola... E o dinheiro economizado na compra de roupas que serão usadas só por alguns poucos meses porque as crianças crescem muito rápido, a gente gasta com outras coisinhas também necessárias e outras nem tanto, porque né, ninguém é de ferro. Adoro isso.

Abraços

Tassi Bach disse...

Acho que o espírito é esse, as roupas vão sendo passada pros filhos das amigas, primas, irmãs, vizinhas... Algumas roupas do Arthur foram para uma família necessitada, que é conhecida de uma amiga minha. Outras foram para amigas e afins. Muitas das primeiras roupas do Arthur eu ganhei do filho da irmã da colega de trabalho do meu pai (ecthá!), ela me deu um sacão de roupas pra RN até tamanho G. Nós fazemos isso também com as nossas roupas, separamos aquilo que serve, não usamos, enfim, e doamos para os Mensageiros da Caridade daqui de Porto Alegre. Eles vem aqui em casa e buscam. Não existe mais praticidade do que isso! Não entendo por que tem gente que não faz isso, é só separar o que não quer e ligar para eles e marcar um dia pra buscarem. Nós doamos a nossa geladeira para eles, já que compramos uma nova. Eu não costumo dar coisas para pessoas que vem bater a minha porta, por que sei que vão voltar e continuar pedindo, quando vem gente aqui pedir eu mando para os mensageiros. Enfim, me empolguei... Bjão!

Layana disse...

Eu nunca vendi também, sei lá, não "sou" loja, ia ficar oferecendo por aí, ou no meu blog? Ter maior trabalheira por causa de algumas peças... prefiro doar também, pois como eu não surto comprando roupas caríssimas, tudo o que ela tem é usado bastante. No fim fica usável, mas não vendável, e acho isso bom.

Quando passa alguma mãe necessitada aqui na porta e ganha roupas fofinhas eu me sinto feliz de ver a cara de surpresa e satisfação delas.
E assim o mundo gira.

Alê disse...

eu guardei pouquinha coisa de quando a Anna Laura nasceu, hoje dou tudo que ela vai perdendo! junto um pouco e vou no bairro pra doar!! hoje mesmo ja juntei umas e vou final de semana! não vendo nadinha concordo com vc tem muita gente que precisa e não tem dinheiro pra comprar!!!

Naíra Cecília disse...

Eu estou passando por isso pela primeira vez agora que meu bebê tem 5 meses. Mas ja imagino q vou passar muitas outras vezes! Ja separei tudo e com certeza vou doar sim! Tem uma prima do marido gravida do segundo filho, mas infelizmente eh aquele tipo de pessoas bossal, quer tudo novo. Que pena pra ela, podia economizar tenho tantas coisinhas aqui que daria com muito prazer. São primos não? Bom, pelo menos tem gente que abre um sorrisão me agradecendo e pede pra Deus, Jesus, Maria, José e todos os santos do mundo me abençoar. Eu digo Amem! Façam bom uso e quando nao couber mais doem novamente!!
Adorei o post Kira!
Show!

Anônimo disse...

Qm tem compra qm não tem doa e aceita doação não é verdade lindinha?

Steph Ciciliatti disse...

Fi, depois que minha filha virou menino, sabe o que eu fiz?
CHOREI.
Fui ajudada, muita gente me mandou um monte de coisa. E sabe o que eu fiz com as coisas de menina? Doei tudo.
To com um monte de sacola aqui, vou doer o que nao serve mais.


QUEM CATA ROUPA PERDIDA DE CRIANÇA PRA VENDER É TÃO MESQUINHA, SABE.

kkfaria disse...

eu doei as roupinhas mais simples e que ela usou por mais tempo. As mais bonitinhas (e as de recordação como a saída da maternidade) estão separadas. Planejamento do segundo bebê já rolando e se for menina tb vou reaproveitar as coisas. Caso contrário, tb serão doadas!

Criss Ferrari disse...

Eu nem guardo, então sigo doando tudo, vez ou outra aparece gente me pedindo explicitamente, e eu já deixo meio que separado, questão de 2 semanas eu passo para alguém. Já doei a cadeirinha pro carro, aquela que chamam de bebê conforto, pois quem veio pedir ia me dar uma grana mas eu achei melhor doar, me sinto melhor, mesmo que falte para mim, que sobre para quem tá desempregado (o caso do bebê conforto).
E minhas últimas doações foram para um centro espírita.

Anônimo disse...

Eu pude comprar roupa lindinha, mas aceitei a doação de uma amiga para a minha filhota. Ela tinha gemeas, e eu tive bebê seis meses depois. Filhota ganhou quase tudo até um ano de idade... O motivo deu ter aceito é que pude contribuir para o nao desperdício de coisas... Usei a grana da roupa para outros benefícios de minha filhota... Agora com dois anos eu doei tudo. Dividi para 3 pessoas diferentes. Foi coisa prá caramba... Então aceitar doação não é coisa só de "sem grana" é questão de consciência mesmo... De amor ao próximo e cuidado com o meio ambiente... Ah, além de desde o berço ensinar uma valiosa lição para os babys, não serem consumistas! Serem sim utilitaristas...

R. disse...

Guardei uma peça de cada filhote, como lembrança, e o restante doei. Assim como recebi doações. E doei roupa bonita, cheirosa e bem conservada, pq eu acho que é assim que funciona, só doar aquilo que vc gostaria de receber.
<3

Lucila disse...

Penso exatamente como você. E faço o mesmo. Beijos!